Do outro lado da pandemia

Item

Título
Do outro lado da pandemia
Descrição
Venho por este meio partilhar a experiência de quem esteve e se mantém diariamente ao que chamam "linha da frente". Sou profissional de saúde e estive infetada pelo vírus!
Pouco se falava sobre o vírus nos media e já havia uma ligeira inquietação a nível da equipa do que seria e do que poderia vir a ser este vírus. Pouco tempo depois surge o primeiro caso em Portugal. E começa a verdadeira preocupação, o medo do incerto e desconhecido.
O certo é que, até ao dia de hoje, pouco se sabe, com toda a certeza sobre o vírus e sobre o que este pode causar no momento da infeção e que sequelas poderá deixar no ser Humano. Sempre foi o meu medo desde o primeiro dia em que apareceu o primeiro caso positivo no meu local de trabalho e no mesmo dia em que eu própria testei positivo! Foram dias difíceis no hospital com muito stress, medo, desgaste psicológico e físico... a equipa já estava cansada, passou a fixar exausta. Começaram a cair os primeiros elementos (enfermeiros, médicos, auxiliares de acção médica...) e a equipa foi ficando reduzida a alguns elementos que continuaram a dar tudo por aquilo que amam fazer: cuidar! O uso dos equipamentos é também um grande desafio. Infelizmente nem sempre existiram (mas isso é outra luta) e por esse motivo vários profissionais ficaram infetados porque não conseguiam deixar de prestar cuidados aos que mais precisavam e arriscaram a sua vida! Penso que a nível geral, todos amam a profissão e assumiram esta pandemia como uma guerra que unidos vamos ultrapassar! Sempre tive esse pensamento e sempre dei tudo para seguir em frente nesta batalha, mas infelizmente houve um dia em que apareceu o primeiro sintoma e desde aí fiquei logo em isolamento. O primeiro teste deu negativo mas continuando com sintomas repeti e dessa segunda vez positivei! Foi então que senti uma angústia, o medo! Medo de poder ter infetado alguém mais débil do que eu, medo da resposta que o meu corpo conseguiria ou não dar aquele vírus...e a vontade que querer estar presente na batalha que continuava a ser travada! Foram dias difíceis! Eu própria tive de gerir a minha ansiedade e a preocupação dos meus! Felizmente tudo passou e os sintomas foram ligeiros. Assisti á decadência/ ao agravamento do estado de vários doentes infectados e posso dizer que era assustador a rapidez com que o vírus se apoderava principalmente da parte respiratória. Foram dias dificeis ...
Podem dizer que somos heróis, podem dizer que fomos irresponsáveis, podem bater palmas ou até chamar de selvagens! So quem està no meio da batalha sente e sabe do que falo! Pessoas que entraram num hospital, partiram sem ver os seus e sem conhecer sequer o sorriso de carinho daqueles que estiveram ali até ao seu último suspiro! Foram dias difíceis...
A incerteza mantem-se...até hoje penso que não tenho qualquer sequela física, o psicológico vou gerindo! Uma coisa tenho a certeza... enquanto conseguir vou continuar a cuidar com amor pelo que faço!
Foram dias dificeis... e vão continuar a ser...
Localização
Porto
Data
10
Abril
2020
Conjuntos de itens

Este item foi submetido em 20 de Julho de 2020 por [utilizador anónimo] usando o formulário "Conte a sua história" do site "Memória COVID": https://projetos.dhlab.fcsh.unl.pt/s/memoriacovid

Clique aqui para ver a informação recolhida.