Saber mais

Para quem quiser aprofundar os seus conhecimentos e reflexão, ou abalançar-se a pesquisas específicas, apresenta-se em baixo uma selecção bibliográfica sobre a Ulmeiro, seus feitores, autores, colecções, géneros literários, temáticas, problemáticas e catálogo.

 

ULMEIRO | Fontes

FONTES PRIMÁRIAS

Artigos de imprensa
•ALEMÃO, Samuel (2018), “Apesar do anunciado fecho, Livraria Ulmeiro deverá mesmo manter-se aberta e até planeia publicar livros”, O Corvo [website], 16/11.
•ALMEIDA, Sebastião (2018), “A Ulmeiro chegou ao ponto em que «não há volta a dar»: é para fechar”, Público, 23/10. 
•ALMEIDA, Sebastião (2019), “Com o fim à vista, a Ulmeiro lutou e renasceu: voltará a publicar”, Público, 26/1.
•ALMEIDA, Sebastião (2019), “Isto Anda Tudo Ligado: os 50 anos da Ulmeiro em exposição”, Público, 4/5.
•ANÓNIMO (1970), “António Ferra expõe na Galeria Ulmeiro”, Diário de Lisboa, 1.ª edição, n.º 17049, 8/6, p. 7.
•ANÓNIMO (1976), “Eanes processa jornalista por livro sobre massacres coloniais”, página um, n.º 56, 17/9, p. 1 e 16.
•ANÓNIMO (1976), “Eanes processa jornalista”, página um, n.º 57, 18/9, p. 1 e 3.
•BARATA, Clara, QUEIRÓS, Luís Miguel (1994), “Os livros da resistência: livrarias no regime fascista”, Público, 11/6, p. 1-4 (supl. Leituras).
•CALHEIROS, Sónia (2016), “O último dos livreiros”, Visão, 3/3, p. 9-supl.º Sete. Nb: a versão digital da qual se retirou o enlace diferencia-se no título (“Será o dono da Ulmeiro o último dos livreiros?”) e na data (que é de 9/3).
•CANELAS, Lucinda (2016), “Os livros não têm prazo de validade”, Público, 13/3, p. 42/3.
•CARVALHO, Augusto de (1988), “Onde se fala de Wiriamu e Marcelo Caetano a propósito de «Guerra e Política», de Kaúlza de Arriaga”, Diário de Lisboa, 5/1, p. 3.
•CIPRIANO, Rita (2017), “A livraria Ulmeiro não morreu, vai estender-se fora de portas”, Observador, 19/3.
•GOMES, Francisco (2012), “Evocada luta contra central nuclear em Ferrel”, Jornal das Caldas, 21/3.
•LOBO, Renata Lima (2019), “Ulmeiro renasce como editora de livros independente”, Time Out, 4/2.
•MENDES, Anabela (1994), “Ulmeiro promove Festa do Livro em Benfica”, Público, 22/12, p. 43-supl.º Local.
•PAIVA, Ana Sofia (2020), “«Isto anda tudo ligado» pela Ulmeiro há 50 anos”, +Lisboa [website], Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (NOVA FCSH).
•QUEIRÓS, Luís Miguel (2018), “Guia para salvar o sector do livro”, Público, 2/5, p. 28/9.
•WHO TRIPS (2019), “O Espaço de liberdade e paixão pela leitura da Ulmeiro”, Who Trips. Trips & tips para viajar e descobrir Portugal [website de jornalismo de viagens], 20/11.

Documentários e vídeos
•CARVALHO, Diego Quindere de (realização; 2020), Adeus aos livros [apresentação do documentário], produção da Doc Nomads, 1 min.
•CARVALHO, Diego Quindere de (realização; 2020), Adeus aos livros, produção da Doc Nomads, 12:27 mins.
•CASTELO, António (realização; 2019), Espaço Ulmeiro [apresentação do documentário], produção da QI News, 4:17 mins.
•CASTELO, António, FRIAÇAS, Andreia (realização; 2019), Espaço Ulmeiro – a luta em livraria, produção da QI News, 51:15 mins.
•DUARTE, Henrique (realização; 2020), Documentário Isto Anda Tudo Ligado, produção do CHAM – Centro de Humanidades, NOVA FCSH, 7:57 mins.
•DUARTE, Henrique (realização; 2020), Génesis: Resistência cultural e política | Exposição virtual 50 anos Ulmeiro [vídeo da secção 1 da mostra], produção do CHAM – Centro de Humanidades, NOVA FCSH, 2:08 mins.
•DUARTE, Henrique (realização; 2020), A palavra é uma arma | Exposição virtual 50 anos Ulmeiro [vídeo da secção 2 da mostra], produção do CHAM, NOVA FCSH, 0:45 mins.
•DUARTE, Henrique (realização; 2020), O combate final à ditadura | Exposição virtual 50 anos Ulmeiro [vídeo da secção 3 da mostra], produção do CHAM, NOVA FCSH, 1:29 mins.
•DUARTE, Henrique (realização; 2020), O PREC, seus descendentes e o pós-revolução | Exposição virtual 50 anos Ulmeiro [vídeo da secção 4 da mostra], produção do CHAM, NOVA FCSH, 0:37 mins.
•DUARTE, Henrique (realização; 2020), Anti e pós colonialismo e novas formas de intervenção | Exposição virtual 50 anos Ulmeiro [vídeo da secção 5 da mostra], produção do CHAM, NOVA FCSH, 1:41 mins.
•DUARTE, Henrique (realização; 2020), Tributos: Agostinho da Silva, Léo Ferré e Ferlinghetti | Exposição virtual 50 anos Ulmeiro [vídeo da secção 6 da mostra], produção do CHAM, NOVA FCSH, 0:46 mins.
•DUARTE, Henrique (realização; 2020), Diversificação e inovação | Exposição virtual 50 anos Ulmeiro [vídeo da secção 7 da mostra], produção do CHAM, NOVA FCSH, 1:19 mins.
•DUARTE, Henrique (realização; 2020), Livrarias de bairro: o antidepressivo livre de receita médica | Exposição virtual 50 anos Ulmeiro [vídeo da secção 8 da mostra], produção do CHAM, NOVA FCSH, 1:18 mins.
•DUARTE, Henrique (realização; 2020), A Ulmeiro no olhar de leitores e fazedores | Exposição virtual 50 anos Ulmeiro [vídeo da secção 9 da mostra], produção do CHAM, NOVA FCSH, 1:06 mins.
•DUARTE, Henrique (realização; 2020), Ilustração e marcos estético-visuais | Exposição virtual 50 anos Ulmeiro [vídeo da secção 10 da mostra], produção do CHAM, NOVA FCSH, 2:22 mins.
•PAIVA, Ana Sofia (realização; 2020), “Cinco décadas para estar tudo ligado” [documentário associado à reportagem “«Isto anda tudo ligado» pela Ulmeiro há 50 anos”], +Lisboa [website], Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (NOVA FCSH).
•SILVA, Rui Ferreira, SILVA, João (realização; 1999), Livrarte, entrevista a José Antunes Ribeiro e Lúcia Ribeiro, difundido no programa televisivo Portugalmente IV, produção da RTP, 27 mins.
•TUBEDORUI (2019), “José Ribeiro - Espaço Ulmeiro”, tubedorui [página Youtube de videos], 18/11, 5 :26 mins.

Entrevistas, depoimentos e testemunhos
•ANTONIO, Jorge Luiz (2010), “Entrevista: Fernando Aguiar”, Revista Contrapontos, vol. 10, n.º 3, p. 351-61.
•ANTUNES, António Lobo (1997), “Homenagem a José Ribeiro”, Público, 11/5, p. 6-supl.º Pública.
•CARVALHO, Alexandra (2009), “«Ulmeiro/Livrarte»... 40 anos a resistir”, Retalhos de Bem-Fica [blogue], 17/1.
•CARVALHO, Alexandra (2010), “Gente de Benfica - V”, Retalhos de Bem-Fica [blogue], 10/12.
•CARVALHO, Alexandra (2020), “Até sempre, querida Lúcia!...”, Retalhos de Bem-Fica [blogue], 30/6.
•CÉSAR, Adília, PINTO, Fernando Esteves (2018), “Lógos entrevista | José Antunes Ribeiro”, LÓGOS – Biblioteca do Tempo [blogue], 27/2.
•COSTA, Francisco Seixas da (2016), “Ulmeiro”, notas pouco diárias [blogue], 11/2.
•[COUTINHO], Céu (2018), “Os livreiros falam às Senhoras: José Ribeiro (Ulmeiro)”, Senhoras da Nossa Idade [blogue], 26/2.
•DUARTE, J. C. (2013), “Sobre livros e quem os vende”, Stopmeter 98 [blogue], 5/4.
•FAGUNDES, Teófilo (2018), “Viver é preciso”, Mapa. Jornal de Informação Crítica, 18/1. Nb: entrevista com José Carlos Marques, ambientalista co-autor de manifesto anti-nuclear editado pela Ulmeiro em 1978.
•FERRA, António (2008), “[Zé Pimpão, João Mandão e os sapatos feitos à mão]”, os pedaria [blogue], 5/1.
•GOMES, Rui (2019), “O Espaço de liberdade e paixão pela leitura da Ulmeiro”, in Vou Ali e Já Venho [programa radiofónico da Antena 1], 20/11, 2:32 mins.
•JLF (2014), “Ulmeiro”, Notas e Reflexões [blogue], 8/4.
•JOAQUIM, Ana Cristina (2013), “Entrevista com o poeta experimental Ernesto Manuel de Melo e Castro”, Revista Desassossego, Universidade de S. Paulo, n.º 9, Junho, p. 181-197.
•LACERDA, Daniel (1987), “Breve encontro com Maria Graciete Besse”, Diário de Lisboa, 2/7, p. 3-supl.º Ler Escrever. Nb: entrevista sobre a obra recente desta escritora, incluindo alusões ao livro Labirintos do corpo, editado pela Ulmeiro em 1986.
•MATA, Manuel da (2007), “Ulmeiro”, Musica maestro [blogue], 18/6.
•MELO, Daniel (2017), Entrevista de Daniel Melo a José Antunes Ribeiro, parte 1: Ulmeiro e primórdios, 38:27 mins.
•MELO, Jorge Silva (2016), “Vida a andar por aí - Autobiografia de Jorge Silva Melo”, JL, 10/2.
•NAVARRO, António Modesto (1999), “A propósito de literatura policial”, Público, secção “Policiário”, 13/6, p. 50 (comunicação apresentada no III Congresso de Escritores Portugueses).
•OLIVEIRA, Inês, GONÇALVES, Ricardo ([2016]), “José Ribeiro: uma página da sua vida”, Estoriadores [website].
•RIBEIRO, José Antunes (editor; 1978), Cidade Campo. Cadernos da habitação ao território, Lisboa, editor José Antunes Ribeiro, distr. Ulmeiro.
•RIBEIRO, José Antunes (editor; 1979), Cidade Campo. Movimento Popular e Prática Urbanística em Portugal, Lisboa, editor José Antunes Ribeiro, distr. Ulmeiro.
•RIBEIRO, José Antunes (dir.; 1980-1981), Sobreviver. A Revista Mensal dos (Im)pacientes, I serie, Lisboa, Ulmeiro.
•RIBEIRO, José Antunes (1984-1985?), Ulmeiro jornal, Lisboa, Ulmeiro.
•RIBEIRO, José Antunes (1984), “Carta aos leitores”, Ulmeiro jornal, n.º 1 (Fev.), p. 1.
•RIBEIRO, José Antunes (1984), “Aos leitores: I.V.A. requiem pelo livro”, Ulmeiro jornal, n.º 4 (Mar.), p. 1.
•RIBEIRO, José Antunes (1984), “15.º aniversário da Ulmeiro”, Ulmeiro jornal, n.º 4 (Mar.), p. 8.
•RIBEIRO, José Antunes (1985), “Algumas reflexões acerca do Código de Direito de Autor”, Ulmeiro jornal, n.º 5 (Abril), p. 2.
•RIBEIRO, José Antunes (1985-1986?), Sobreviver. Revista Mensal do Livro e da Cultura, II serie, Lisboa, Ulmeiro.
•RIBEIRO, José Antunes (1986), “Carta aos leitores: elogio do louco amor”, Sobreviver. Revista Mensal do Livro e da Cultura, n.º 2 (Jan.), p. 2.
•RIBEIRO, José Antunes (1986), “Carta aos leitores: escândalo do século”, Sobreviver. Revista Mensal do Livro e da Cultura, n.º 4 (Mar.), p. 2.
•RIBEIRO, José Antunes (1986), “Carta aos leitores: o livro tem o seu preço”, Sobreviver. Revista Mensal do Livro e da Cultura, n.º 6 (Mai.-Jun.), p. 2.
•RIBEIRO, José Antunes (1994), “Os 25 anos da Ulmeiro”, Livros de Portugal, a. VII, n.º 2 (Fev.), p. 13.
•RIBEIRO, José Antunes (1996), “Nota do Editor”, in Maria Rosa Colaço, A criança e a vida, 40.ª ed., Lisboa, Ulmeiro, 1996, p. 7.
•RIBEIRO, José Antunes (2001), “O Estado, as bibliotecas e os livros” [comunicação ao 1.º Congresso dos Editores Portugueses], Diário Económico, n.º 2641, 5/7, p. 60-supl.º.
•RIBEIRO, José Antunes (2006-2010), O Voo da Coruja [blogue].
•RIBEIRO, José Antunes (2006), “Andar ao papel… 1”, O Voo da Coruja [blogue], 23/3.
•RIBEIRO, José Antunes (2006), “Onde o autor se explica qualquer coisinha”, O Voo da Coruja [blogue], 31/5.
•RIBEIRO, José Antunes (2009), “A Ulmeiro nasceu Há 40 anos!!!”, O Voo da Coruja [blogue], 2/12.
•RIBEIRO, José Antunes (2010-2011), “Pequenas estórias de uma livraria de Benfica…”, Retalhos de Bem-Fica [blogue], 28/12/2010-11/2/2011.
•RIBEIRO, José Antunes (2011-2012), Fólio Exemplar [blogue].
•RIBEIRO, José Antunes (2012), “Edição e património – um depoimento pouco optimista”, in Daniel Melo (org.), «As editoras e o seu património em debate»: introdução problematizante e testemunhos” [dossiê], Cultura. Revista de História e Teoria das Ideias, II série, vol. 30, p. 200-203.
•RIBEIRO, José Antunes (2013), “Clube do Espaço Ulmeiro”, Retalhos de Bem-Fica [blogue], 12/3.
•RIBEIRO, José Antunes (2013), “Sessão de Poesia com Fernando Grade”, Retalhos de Bem-Fica [blogue], 21/3.
•RIBEIRO, José Antunes, BACELAR, Assírio, MELO, Daniel (2018), "Carta aberta para sair da crise no sector do livro e da leitura", Petição Pública, 17/4.
•ROSA, Jorge Leandro (2016), “Ulmeiros frondosos e desarrumados”, Testemunho do estético [blogue], 11/2.
•SOUTA, Luís, COLAÇO, Maria Rosa (2002), “Escrever é tentar perceber o desalinho das coisas”, A Página da Educação, n.º 112 (Maio).
•TOMÉ, Carlos (2018), “«Sinto-me um náufrago no meio de tantos livros»” [entrevista a José Antunes Ribeiro], O Riachense, 17/10, p. 12-14.
•VASSALO, Ana (2011), “«Jantares com livros, poesia e às vezes música»!”, Retalhos de Bem-Fica [blogue], 16/9.

 

FONTES SECUNDÁRIAS

Teses, paratextos, notas e alusões a livros da Ulmeiro
•ANÓNIMO (1978), “Sapatos feitos à mão”, A Luta, 23/5.
•ANÓNIMO (1984), “As letras em dia [As incontáveis vésperas]”, Diário de Lisboa, 26/1, p. 4-supl.º Ler/Escrever. Nb: nota sobre os livros Percursos (ed. Editorial Presença) e Incontáveis vésperas (ed. Ulmeiro), ambos de Wanda Ramos.
•ANÓNIMO (1984), “As letras em dia [António de Macedo]”, Diário de Lisboa, 15/3, p. 4-supl.º Ler/Escrever. Nb: nota sobre o livro A pomba, de António de Macedo, editado pela Ulmeiro.
•ANÓNIMO (1984), “[«O Graal»]”, Diário de Lisboa, 22/3, p. 3-supl.º Ler/Escrever. Nb: nota sobre o livro O Graal, de Luís Figueiredo Tomé.
•ANÓNIMO (1984), “A Ulmeiro e a cultura africana”, Diário de Lisboa, 27/6, p. 3-supl.º Ler/Escrever. Nb: notas sobre livros recentes de António Carreira (Cabo Verde), Luís Romano (Famintos), João Lopes Filho (Estória, estória…) e Abílio Teixeira Mendes (Henda Xala). 
•ANÓNIMO (1985), “Fernando Pessoa por Vasco em álbum editado pela Ulmeiro”, Diário de Lisboa, 19/4, p. 10.
•CARDOSO, Ribeiro (1987), “«Morte no Douro», de Modesto Navarro, soma e segue”, Diário de Lisboa, 16/4, p. 7-supl.º Ler/Escrever.
•CORREIA, Hélia (1984), “Abundantes os terrenos que percorre uma liteira…”, Diário de Lisboa, 8/11, p. 1 e 3-supl.º Ler/Escrever. Nb: trecho do pref.º da reed. pela Ulmeiro de Vinte horas de liteira, de Camilo Castelo Branco.
•CINTRA, Manuel (1984), “Como se fosse preciso acordar o silêncio”, Diário de Lisboa, 20/12, p. 1, 2 e 3-supl.º Ler/Escrever. Nb: pref.º da reed. pela Ulmeiro de Farsa, de Raúl Brandão.
•JÚDICE, Nuno (1984), “As «Primaveras Românticas»[,] de Antero Quental”, Diário de Lisboa, 10/5, p. 1, 2 e 3-supl.º Ler/Escrever. Nb: pref.º da reed. pela Ulmeiro do livro em epígrafe, v.o.1872. 
•LEITE, Ana Mafalda (1985), “Prefácio. Uma poética da des(centração)”, in David Mestre, Nas barbas do bando, Lisboa, Ulmeiro, Luanda, União dos Escritores Angolanos, col. Biblioteca literária Ulmeiro, n.º 4, p. 7-10.
•LOURES, Carlos (2013), “«Isto anda tudo ligado» – uma frase eterna de um livro de Eduardo Guerra Carneiro – por Carlos Loures”, A Viagem dos Argonautas [blogue], 12/6.
•PACHECO, Fernando Assis (1985), crónica “Welcome, Rusty!”, inserta no artigo “Quando Camilo andava de paquete”, O Jornal, 25/10, p.8-supl.º Caderno 2.
•PADRÃO, Maria da Glória (1985), “Para a metáfora do sequestro” [prefácio], in José Viale Moutinho, Histórias do tempo da outra senhora, 2.ª ed. rev., Lisboa, Ulmeiro, col. Imagem do Corpo, n.º 23, p. 5-7.
•PAPAROTO, Tércio de Abreu (2009), A lição de coisas, de António Cardoso: uma poética para além da prisão, São Paulo, tese doutr.
•REIS, Daniel (1979), “Um livro de Carlos Vaz sobre teatro africano”, Diário de Lisboa, 16/3, p. 5-supl.º 7.7.
•VARIO, João (2000), “Certas alfaias dum poeta angolano. Note sobre Nas barbas do bando de David Mestre, Jornal de Angola, n° 112 (4/09/2000)”, Anais, vol. II, n.° 3 especial, p. 63-64.

Recensões críticas a livros da Ulmeiro
•ALVIM, Pedro (1989), “«Heróica» e Bonaparte”, Diário de Lisboa, 27/9, p. 15. Nb: recensão crítica a Beethoven sob, de Noémia Seixas.
•ANTÓNIO, Mário (1981), “[Recensão crítica a 'Mukandano', de Artur Queiroz]”, Colóquio/Letras, n.º 59, Jan., p. 83-84.
•B., C. (1984), “O romance-testemunho de um médico sobre a Guerra colonial em Angola”, Diário Popular, 17/4. Nb: sobre o romance Henda Xala.
•FRAGOSO, José Manuel (1986), “João Lopes Filho. Defesa do património sociocultural de Cabo Verde”, África. Literatura, arte, cultura, II s., n.º 14 (Ago.-Set.), p. 85-87.
•LISBOA, Eugénio (1986), “[Recensão crítica a 'Nas Barbas do Bando', de David Mestre]”, Colóquio/Letras, n.º 92, Jul., p. 110/1
•MARTINHO, Fernando J. B. (1979), “Alda Espírito Santo. É nosso o solo sagrado da terra moçambicana. Col. Vozes das Ilhas/1. Ulmeiro, Lisboa, 1978, 184 p.”, África: literatura, arte e cultura, propr. e dir. Manuel Ferreira, a. I, vol. I, n.º 3 (Jan.-Mar.), p. 355-357.
•MEDINA, João (1980), “John Stockwell. A CIA contra Angola. Wilfred Burchett e Derek Roebuck. Prostitutas de guerra – mercenários de hoje”, África. Literatura, arte e cultura, n.º 7 (Jan.-Mar.), p. 263-264.
•PORTUGAL, Ana Paula (1984), “«Angústia em Pequim»: reflexão sensível de uma portuguesa em tempo chinês”, Diário de Lisboa.
•PORTUGAL, Ana Paula (1984), “A coreografia na palavra de Isabel de Sá”, Diário de Lisboa, 27/6, p. 3-supl.º Ler Escrever.
•PORTUGAL, Ana Paula (1984), “Retrato de família com Sara”, Diário de Lisboa, 28/11, p. 1, 2 e 3-supl.º Ler/Escrever. Nb: conto a partir do livro As incontáveis vésperas, de Wanda Ramos.
•P[ORTUGAL], A[na] P[aula] (1986), “«A Morte das Imagens», Helena Malheiro, Ulmeiro”, Diário de Lisboa, 2/10, p. 3.
•PORTUGAL, Ana Paula (1986), “«Labirintos do Corpo»[,] Maria Graciete Besse[,] Ulmeiro”, Diário de Lisboa, 14/7, p. 2-supl.º Ler Escrever.
•R., R. (1980), “Contos transmontanos – de Modesto Navarro”, Diário de Lisboa, 8/7, p. 16.
•ROCHA, Luís de Miranda (1987), “Os Labirintos do corpo, Maria Graciete Besse, Ulmeiro, Lisboa”, Diário de Lisboa, 14/5, p. 2-supl.º Ler Escrever. 
•SALEMA, Álvaro (1979), “João Lopes Filho. Estória, estória”, África: literatura, arte e cultura, propr. e dir. Manuel Ferreira, a. I, vol. I, n.º 4 (Abr.-Jun.), p. 481-482.
•SALEMA, Álvaro (1984), “Literatura involuntária [recensão crítica a 'Peste Malina', de Ivone Chinita]”, Colóquio/Letras, secção Livros sobre a Mesa, n.º 81, Set., p. 74.
•SIMÕES, Manuel G. (1987), “[Recensão crítica a ‘Nuvens, no Vale’, de José-Alberto Marques; ‘FlexõesREflexões’, de José-Alberto Marques]”, Colóquio/Letras, n.º 96, Mar., p. 108-109.
•SOUSA, João Rui de (1986), “Sobriedade e suspensão [crítica a 'A Pulso o Horizonte', de Lia Viegas]”, Colóquio/Letras, n.º 89, Jan., p. 81.

Textos sobre autores da Ulmeiro
•BAPTISTA, Pedro (2013), “Macau por dentro” [nota biográfica sobre Ondina Braga], h - Suplemento do Hoje Macau, n.º 78, 15/3, p. 2-7.
•BARREIROS, José António (2012), “Uma alma peregrina” [nota biográfica sobre Ondina Braga], Maria Ondina Braga [blogue], 20/6. Nb: texto originalmente publicado no jornal cultural Artes entre as Letras.
•CARDOSO, Ribeiro (1988), “Tese de licenciatura sobre policiais de Modesto Navarro”, Diário de Lisboa, 10/3, p. 6-supl.º Ler Escrever.
•CAVALCANTI, José Antônio (2010), “David Mestre”, Poemargens, 26/3.
•DIAS, Maria João (2015), “Maria Rosa Colaço (1935-2004)”, Antifascistas da Resistência, 24/7.
•DETECTIVE JEREMIAS (2012), “Caleidoscópio 34”, Policiário de Bolso, 3/2.
•FERREIRA, Serafim (1998), “Modesto Navarro”, in O acto e a letra. Biografias breves, Lisboa, Editorial Escritor.
•LOURES, Carlos (2014), “CONTOS & CRÓNICAS -Uma memória de Eduardo Guerra Carneiro – por Carlos Loures”, A Viagem dos Argonautas [blogue], 6/5.
•MAGALHÃES, Isabel Allegro de (1992), "Os véus de Artémis: alguns traços da ficção narrativa de autoria feminina", Colóquio/Letras, n.º 125/126, Jul., p. 151-68.  Nb: referências para Hélia Correia e Wanda Ramos.
•OLIVEIRA, Carlos Nuno (2020), “A Ler É Que A Gente Se Ouve”, AVFM, website da rádio Antena Vareira - Cooperativa Cultural e Recreativa, CRL, 16/6. Nb; bionote de Wanda Ramos em mins.10-16:19 (teledifundido a 15/6, 51:57 mins.).
•PRANVILLE, Pierre-Michel (2009), Sept romans policiers portugais révélés au bain de l’Histoire. Enquêtes policières de Modesto Navarro (1982-2002), Paris, Université Paris 3 - Sorbonne Nouvelle, Mémoire de Master. 2.
•PRANVILLE, Pierre-Michel (2013), “Le détective portugais Artur Cortez, un apatride dans son pays. Le roman policier portugais, un étranger chez lui: exil et retour”, HispanismeS, n.° 1 (Jan.).
•SÁ, Isabel de (2009), “Nota biográfica de Isabel de Sá”, Isabel de Sá [blogue], 7/9.
•SUPERMASSIVE BLACK-HOLE (2009), “Wanda Ramos: As Incontáveis Vésperas. Trova do tempo que (não) passa”, Camel & Coca-Cola [blogue], 7/1.

Estudos temáticos
•AGUIAR, Fernando (2006), “O experimentalismo poético em Portugal”, O Eixo e a Roda: Revista de Literatura Brasileira, Universidade Federal de Minas Gerais, vol. 13, p. 111-18.
•ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE ECOLOGISTAS AMIGOS DA TERRA (1987), Antes... durante... e depois de Chernobyl: o nuclear no mundo e em Portugal, Lisboa, Associação Portuguesa de Ecologistas Amigos da Terra.
•BASTOS, Glória (2006), O teatro para crianças em Portugal – história e crítica, Lisboa, Editorial Caminho.
•CARVALHO, Alexandra (1999), «(...) Nós guardamos as memórias para o futuro» - contribuição para o estudo dos alfarrabistas na cidade de Lisboa, Lisboa, FCSH - Universidade Nova de Lisboa, trabalho de investigação apresentado para a obtenção do grau de Licenciatura em Antropologia.
•CASTELO, Cláudia (2006), “Apresentação: Memórias coloniais: práticas políticas e culturais entre a Europa e a África”, Cadernos de Estudos Africanos, n.º 9/10, p. 1-13.
•LOBO, Domingos (2013), “Singularidades do policial português”, Avante!, n.º 2061, 30/5.
•MARQUES, Pedro Piedade (2015), “«Fernando de Bentley», Guy Debord e a edição portuguesa de «A Sociedade do Espectáculo»”, Montag, 19/3.
•MAUÉS, Flamarion (2020), "Ulmeiro", Livros que tomam partido: a edição política em Portugal, 1968-80, Lisboa, Edições Parsifal, p. 317-22. Nb: v.o. (tese doutr., USP, 2013) acessível em <https://teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-07112013-131459/pt-br.php>.
•MELO, Daniel (2012), “«As editoras e o seu património em debate»: introdução problematizante e testemunhos”, de Daniel Melo (org.), José Pacheco Pereira, João Corregedor da Fonseca e José Antunes Ribeiro, Cultura. Revista de História e Teoria das Ideias, II série, vol. 30, p. 191-203.
•MELO, Daniel (2015), “Circulação, apropriação e actualidade das ideias contra a Guerra Colonial”, Cultura. Revista de História e Teoria das Ideias, II serie, vol. 34, p. 249-67.
•MELO, Daniel (2018), “«Se cambian los tiempos, se cambia la voluntad»: edición, lectura y cambio cultural en el Portugal de los largos años sesenta”, Cercles. Revista d’Història Cultural, vol. 21, p. 15-45.
•MELO, Daniel (2019), “50 anos de intervenção cultural pela Ulmeiro”, in Desarmada, n.º 2, Jul., p. 3-7.
•MELO, Daniel (2019), “Cadernos Peninsulares-Peninsulares (Lisboa, 1970-2016?)”, Biblioteca Virtual Miguel de Cervantes - Portal Editores y Editoriales Iberoamericanos (siglos XIX-XXI) - EDI-RED, Alicante, Biblioteca Virtual Miguel de Cervantes, Dez.
•MELO, Daniel (2019), “José Antunes Ribeiro (Alburitel, 1942- )”, Biblioteca Virtual Miguel de Cervantes - Portal Editores y Editoriales Iberoamericanos (siglos XIX-XXI) - EDI-RED, Alicante, Biblioteca Virtual Miguel de Cervantes, Dez.
•MELO, Daniel (2019), “O Chão da Palavra (1979- )”, Biblioteca Virtual Miguel de Cervantes - Portal Editores y Editoriales Iberoamericanos (siglos XIX-XXI) - EDI-RED, Alicante, Biblioteca Virtual Miguel de Cervantes, Dez.
•MELO, Daniel (2020), “Ulmeiro (Lisboa, 1969-2010)”, Biblioteca Virtual Miguel de Cervantes - Portal Editores y Editoriales Iberoamericanos (siglos XIX-XXI) - EDI-RED, Alicante, Biblioteca Virtual Miguel de Cervantes, Fev.
•MELO, Daniel (2020), “Incursões na edição engajada em Portugal: análise exploratória do catálogo da Ulmeiro”, in António Manuel Lopes Andrade e Cristina Carrington (org.), Do manuscrito ao livro impresso II, Aveiro e Coimbra, UA Editora/ Imprensa da Universidade de Coimbra/Annablume [nb: no prelo].
•RUNETTA, Silvia (2014), A fase utópico-patriótica da poesia angolana (1965-1985), Aveiro, Universidade de Aveiro, tese doutr.
•TEIXEIRA, Ramiro (2000), Ficção portuguesa pós-Abril, Lisboa, Editorial Escritor.
•TORRES, Rui (2010), “Concrete poetry in Portugal - experimentalism and intermediality”, Poetica: An International Journal of Linguistic-Literary Studies, n.º 74, p. 31-45.

Ver item inicial da versão em língua inglesa ( see english version): Presentation >>