Apresentação

E se recontássemos a história do século XX a partir da história do trabalho servil? E se compreendêssemos as estruturas da sociedade portuguesa através da perpetuação de relações servis ancoradas no espaço privado e reproduzidas na esfera pública? A condição servil tem permanecido numa zona encoberta da memória oficial e da história da sociedade portuguesa. Se a subalternidade servil doméstica foi votada ao silêncio, bem como a história das mulheres que fundamentalmente a viveram, deixou o seu enorme lastro nas formas de dependência social dos indivíduos, reproduzindo trajetórias, formas de desclassificação e desigualdades de género e de classe. O site "Memórias de Servidão - Arquivo de História do Trabalho Servil" - pretende funcionar como arquivo e plataforma digital de estudo e divulgação da história da condição servil, doméstica e hoteleira, buscando o registo oral e documental destas formas de trabalho.

Destaques